domingo, 1 de fevereiro de 2009

Ano do Boi

Calendário Chinês. Orientais entre outros seres oriundos das mais vastas bocetas do universo lotam o centro da cidade. Este é o ano do Boi. Frango agridoce, pasteizinhos de porco, camarões semi-crus, cogumelos e óleo passeiam pelo estômago na virada das horas finais. Balões vermelhos.

Carnívoros vastos, sedentos pelo novo. O fim. O começo. No começo era neve surpresa feliz. Cena de cinema: guerrinha de bolas gélidas. Cenário-fotografia. Depois o desespero. No services operating in all London Transports. Ciclo-neve. Bola de neve.

Aqui (cena de cine-drama): eu atolada. No buses. No trains.

Três meses sem bife. O boi que não comi. Pagar o pato. Pagar o gado. Com sangue.

E como eu ia dizendo (ler post abaixo). O inverno chegou e tudo parou. Eu pensei em derretimento das calotas, estoque de alimentos e no day after: 30 cm de neve. Prévias do noticiário. Heavy snow specialy in the south. Máxima prevista: um grau.

A casa do boi - tratores removem a neve, motoristas tentam empurrar seus carros. Em vão. Neve está para vida-metrópole assim como Caim está para Abel.

Este é o ano do boi. Da vida, as vacas. Tenho dito: a Rainha de Paus há de ser muito cavalo.



Cine-neve - domingo (01/02) - por volta das 21h


Voltando pra casa - domingo (01/02) - por volta das 23h


segunda-feira (02/02), por volta 7h da manhã

Um comentário:

O. Tabuão disse...

O aquecimento global tem judiado um bocado de vocês por aí, ham?